Livro de Sandro Pereira Rebel “Contos de Outros Tempos” retrata década de 1950, e Sala de Cultura Leila Diniz traz peça infantil “O Gato de Botas”, além de exposição de dois anos do espaço Cultural em homenagem a atriz Leila Diniz

Autores

SAM_0229

A 19ª Edição do Giro Cultural mais uma vez trouxe um relançamento para ser prestigiado pelo público leitor de Niterói e adjacências. Ocorrido em 13 de julho, às 10h, na Livraria Ideal, houve o relançamento do livro “Contos de Outros Tempos” de Sandro Pereira Rebel. E a partir das 12h, na Sala de Cultura Leila Diniz, mais uma peça de teatro infantil pela Infocus Companhia de Teatro, com “O Gato de Botas“.

O Giro Cultural é uma iniciativa da Nova Imprensa Oficial, presidido pela diretoria de Haroldo Zager; com o apoio da Prefeitura de Niterói; Fundação de Artes de Niterói (FAN); Livraria Ideal, de Carlos Mônaco e TV Universitária da UFF – Unitevê. O evento, como sempre, é gratuito e pode ser feito todo a pé pelo visitante.

  • O livro

SAM_0235

“Anunciando madrugadas aos horizontes, acordando ninhos e matas, o autor de Arco-Íris incorpora-se ao elenco de intelectuais comprometidos com a luz própria e motivação social. Contos de Outros Tempos anuncia em livro, faceta inédita: ao ventos, sua densidade se consolida entre aplausos de crítica séria. Outros tempos, neste mesmo agora, contados de ontem na história de muitos tempos.”

SAM_0224

“Sou testemunha de uma época, como autor e narrador do livro “Contos de Outros Tempos””

  • O primeiro capítulo

Um Pecado Original – Um namoro incomum. Um rapaz se apaixona por uma jovem de 15 anos, e ali na conversa deles, aparece abordagens que só seriam entendidas, por um leitor da época ou pessoa que viveu naquela época. Lá aparece um namoro bem diferente do namoro de hoje.

O livro possui cinco capítulos: 1 – Um pecado Original; 2- A Nomeação; 3- As Tais Razões do Coração; 4 – Vocação Para Mártir; e 5- Equação Com Uma Incógnita. Capa – Mário Caria Filho; Prefácio – Leir Moraes; Foto da 4ª capa Lúcia Motta.

Sandro Pereira Rebel, participa do Grupo Mônaco de Cultura faz 15 anos. Possui mais de 10 livros publicados.Tem participação no convívio literário de Niterói. “Agradeço ao Carlos Mônaco pela oportunidade de lançar aqui na Livraria Ideal os meus livros e este também. Estou fazendo um relançamento, pois esta obra é de 1997. O motivo deste relançamento foi a tiragem feita, em aproximadamente 10 mil, isto porque o editor do livro (Ângelo Longo) quis fazer essa quantidade por ter gostado da obra.”

  • Título

O autor justifica o título da obra, e segundo ele, não são estórias recentes, “Contos de Outros Tempos”, são textos da década de 1950. Talvez por isso, tenham um toque da época, são retratios de uma época relatados por um jovem pouco mais de 21 anos. O texto permite uma leitura a molde de sociologia. E Ângelo Longo, meu editor, era sociólogo, teve essa visão. E ele me pediu para não mexer no texto, pois o propósito era de passar costumes, modos de se viver, atos vividos ou imaginados lá nos anos de 1950. Então o livro tem essa característica, explicado por Ângelo Longo em nota no livro.”, explica Sandro P. Rebel.

  • O Autor

SAM_0289 SAM_0297

Sandro Pereira Rebel nasceu a 17 de março de 1934, em Campos / RJ, filho de Nelson Pereira Rebel e Zilá Peixoto Rebel. É advogado, casado com Nicoleta Cavalcanti Pereira Rebel e tem 4 filhos: Sandra, Nelson, Leila e Sandro Júnior. É Procurador do Estado (aposentado) e ocupou na Administração Pública Estadual cargos da maior elevância, tais como o de secretário de Administração do antigo Estado do Rio de Janeiro e, após a fusão GB-JR, o de Representante do Secretário de Administração em Niterói e o de Presidente do Conselho de Recursos Administrativos dos Servidores Estaduais.
Iniciou suas atividades literárias quando ainda em Campos, mediante publicação, na imprensa local, especialmente nos jornais “Folha do Povo” e “Monitor Campista”, de numerosos artigos e crônicas. Também na imprensa, mas já em Niterói, trabalhou na redação de “O Fluminense” e vem, já há mais de dois anos, publicando regularmente trabalhos em prosa e verso e verso no “Folha de Niterói” (ex: “Opinião” e “Opinião Pública”). Em 1956, editou seu primeiro livro, um livro didático:
Geografia do Estado do Rio de Janeiro. Quarenta anos depois, lançou um outro,
de trovas e pensamento, Arco-íris, e o terceiro, Subsídios para a história de um calçadão. Membro do Grupo Mônaco de Cultura, reside em Icaraí – Niterói.

  • Contracapa por Angelo Longo

Contado de Todos os Tempos

A leveza do estilo de Sandro Pereira Rebel alia-se à tessitura descontraída de seu texto: com absoluto domínio sobre enredos de todo-dia, ele articula ficções de todos os tempos. Neste Contos de Outros Tempos, pode-se destacar o segundo da série: “A Nomeação” é literária e historicamente uma página rodrigueana, datada pela extraordinária arte que imortalizou o autor de “A Vida Como Ela É”. As sombras e as luzes fundem-se num festival de ambiência dramática, salientando tipos e fixando personagens.

Referência indispensável é o registro da edição de Verdes e Maduros, coletânea de crônicas a cargo da Muiraquitã: esse livro, até certo ponto e de maneira claríssima, completa Contos de Outros Tempos. Ambos, aparecidos à mesma época, publicados neste 97, retratam idos e vividos em quadras que não são de agora. Sandro Pereira Rebel, poeta, cronista, tem outras vivências, além da lira e do livro: magistério e o jornalismo adoram e laureiam um caminhar de de merecidos reconhecimentos.
Anunciado madrugadas aos horizontes, acordando ninhos e matas, o autor de Arco-Íris incorpora-se ao elenco de intelectuais comprometidos com luz própria e motivação social.
Contos de Outros Tempos anuncia, em livro, faceta inédita: aos ventos, sua densidade se
consolida entre aplausos de crítica séria. Outros tempos, neste mesmo agora; contados de ontem, na história de muitos tempos.

  • Angelo Longo
Angelo Longo

Imagem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Nascido em 19/08/1935, filho de italiano, respeitado jurista, professor na década de 1980, poeta e escritor, admirava a alma fluminense, tendo editado e prefaciado vários livros, era muito ligado à Editora Cromos de Niterói e à Academia Fluminense de Letras, na mesma cidade; em 1989 tinha uma coluna no jornal semanário “SETEDIAS”; Casado com a Sra. Wilma Longo; falecido em 30/09/1997, em Rio Bonito.

  • Obras de Sandro Pereira Rebel

Geografia do Estado do Rio de Janeiro. Editora Universitária, Niterói, 1956. Didático.
Arco-Íris. Edições Muiraquitã, Niterói, 1996. Poesias
Subsídios para a História de Um Calçadão. Editora Muiraquitã, Niterói, 1996. Trovas.
Verdes e Maduros. Editora Muiraquitã, Niterói, 1997. Crônicas.
Contos de Outros Tempos. Clube de Literatura Cromos, Niterói, 1997. A presente edição.

“Tive um elogio de um crítico literário, Intelectual do Ano, Roberto dos Santos, o que me felicita muito”, declara o autor.

  • Sala de Cultura Leila Diniz

 

SAM_0375

SAM_0404 SAM_0301 SAM_0303 SAM_0305 SAM_0330 SAM_0345 SAM_0348 SAM_0390 SAM_0400

A partir das 12h, crianças e pais visitaram a Sala de Cultura e puderam assistir mais uma peça teatral infantil pela Cia Infocus. E aproveitando a nova exposição que fica até o dia 31 de julho,  a Sala de Cultura Leila Diniz comemorou 2 anos, com uma homenagem a atriz Leila Diniz, mãe de Janaína Diniz Guerra. A exposição reuniu obras de desenhistas brasileiras mais atuantes, entre elas cartunistas, ilustradoras, artistas plásticas de diversas gerações. “Leila Diniz conjugou todos os verbosa favor da liberdade de expressão e, principalmente, de escolhas. Portanto, esta exposição é uma homenagem à Leila Diniz e às nossas desenhistas, mas é extensiva a todas as mulheres brasileiras ávidas por conquistas e igualdade de condições.”afirma Zé Roberto Graúna.

SAM_0394

Renata Palmier, coordenadora dos eventos da Sala de Cultura Leila Diniz, afirma que o público retornou muito positivamente com a exposição, além das próprias artistas que produziram as obras: “Estamos muito felizes com a exposição pois tivemos um retorno muito grande das artistas e do público em geral. E  o interessante é que as obras foram feitas exclusivamente para esta exposição. No dia de abertura tivemos duas Caricaturistas ao vivo, Liliana e Carla que fizeram caricaturas ao vivo, e foi muito bem aceito. E a própria filha da Leila Diniz, Janaína Diniz compareceu ao evento. E o projeto Música na Escola tocou no dia de abertura com músicas da época de Leila Diniz”

SAM_0370

SAM_0351  SAM_0335 SAM_0316 SAM_0313 SAM_0362 SAM_0384

“Apesar da Sala ter apenas 2 anos, temos conseguido que fique conhecida na região metropolitana do Rio de Janeiro, e temos conseguido também um retorno muito bom das redes sociais, internet, e veículos de comunicação”, conta Renata Palmier.

SAM_0359

“Conheci Leila Diniz com o jornal “O Pasquim”, pois eu era cartunista e leitor de “O Pasquim” (jornal de sátira da época). Leila Diniz foi capa em várias edições. E durante a gravidez mostrou em cena. Leila tinha a cara de “O Pasquim”. O jornal “O Pasquim” desafiava a cesura, ditadura militar, e ela, incorporou esse papel como mulher. E foi muito ousada ao desafiar a época, por ser mulher e ter a idade muito jovem. E o principal foi a reação das Artistas que fizeram as obras para esta exposição, que descobriram o quanto  Leila Diniz foi importante para elas mesmas. Acima de tudo, a importância que esta exposição tem aqui no espaço cultural é trazer o quanto Leila Diniz representa ainda para público atualmente.”, informa Zé Graúna.

Desenhistas: Ana Cristina Maciel; Camilla Sanpe; Carla Guidacci; Cláudia Kfouri; Claudia Mendes; Cristina Carnelós; Fani Loss; Fernanda Ambrosio; Jacqueline Ventilani; Kamilla Pavão; Laíssa Gamarro; La Costa; Lili Detoni; Liliana Ostrovsky; Lorena Kaz; Luiza Caetano; Márcia Mendes; Marguerita; Maria Rita; Monica Fuchsber; Na Forcat; Nice Lopes; Patricia Brasil; Regina André; Rose Araujo; Shirlei Fontoura; Thais Linhares; Verônica Saiki; E Yara Souza.

  • O Gato de Botas

SAM_0340

César, produtor cultural disse que a importância da peça foi procurar a trazer uma estória tradicional e contemporânea: “As crianças conseguem acompanhar a abordagem, trabalhamos com bonecos e música para enriquecer a peça. Quebramos a quarta parede para interagir com as crianças e a peça.”.

O Giro Cultural e toda equipe da Nova Imprensa Oficial – Sala de Cultura Leila Diniz e Grupo Mônaco de Cultural – Livraria Ideal, aguardam o público para mais um evento no próximo mês, agosto de 2013, onde haverá mais um lançamento de livro e peça infantil com exposição. Não percam o próximo “20ª Giro Cultural”.

Entrevista: Cláudio Barbosa

Fotos: Cláudio Barbosa

Texto: Cláudio Barbosa

Fonte: Sala de Cultura Leila Diniz

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: